wi-fi publico Curitiba

Internet WI-FI grátis em Curitiba

Internet grátis em Curitiba.

Saiba como acessar os pontos Wi-Fi da cidade!

 

Imagine a seguinte situação: você acabou de sair da faculdade, está no ponto de ônibus e lembra que esqueceu de mandar um e-mail importante com o trabalho final, para o professor. Faltando cinco minutos para o fim do prazo, rapidamente você tira o celular do bolso e descobre que sua franquia de internet acabou, sem 3G, sem 4G, sem nada! E agora?

 

Essa é só uma das muitas possibilidades que podem acontecer. Quantas vezes você já ficou sem internet no seu tablet, smartphone ou computador? Geralmente isso acontece quando a gente mais precisa! Mas você sabia que existe uma maneira de aproveitar internet rápida e gratuita em praticamente qualquer lugar de Curitiba? Pois é! Acesso gratuito que te permite acessar seus e-mails, entrar nas redes sociais, responder mensagens e até jogar seus games favoritos.

 

Wi-Fi gratuito em Curitiba

 

wi-fi publico Curitiba
wi-fi publico Curitiba

Segundo o Instituto das Cidades Inteligentes (ICI), a cidade de Curitiba disponibiliza hoje, cerca de 130 pontos de internet sem fio gratuita à população. Localizados nas principais praças e na maioria dos colégios municipais, inclusive nos terminais de ônibus e transporte público, basta um rápido cadastro para se conectar.

 

Mas, para quem prefere estar conectado em qualquer lugar a qualquer hora, a NET disponibiliza mais de 19 mil pontos de internet ilimitada e gratuita para seus clientes em Curitiba e região. Incrível, né?

 

Mesmo utilizando o transporte publico (disponível em alguns veículos) você poderá acessar a internet da prefeitura. O serviço está disponível inclusive em alguns dos ônibus da linha turismo.

 

Além disso, caso você esteja fora de Curitiba, viajando a lazer ou trabalho, pode permanecer conectado nas principais cidades e aeroportos brasileiros. Afinal, são cerca de 1 milhão e 500 mil pontos de acesso NET por todo o país!

 

Rede #NET-WIFIpor todo lugar

 

wi-fi-no-onibus
wi-fi-no-onibus

Afim de aumentar ainda mais a oferta e atender a demanda, desde 2016 a NET tem implementado uma nova estratégia: transformar todos os modens e roteadores em pontos de acesso para quem quiser. Ou seja, caso você desfrute dos serviços NET como cliente, em casa,  seu modem também servirá como ponto de acesso para outros clientes. Mas não se preocupe, sua velocidade está garantida! A rede “#NET-WIFI” é um serviço adicional e não diminuirá a velocidade do seu plano contratado, apenas funcionará como um tipo de roteador exclusivo para clientes NET.

 

Então, esqueça a ideia de ficar sem acesso a internet. Assista seus YouTubers favoritos, jogue games online e aproveite ao máximo suas redes sociais sem ter que esperar chegar em casa! Clientes NET podem se conectar a qualquer uma das redes “#NET-WIFI” disponíveis e se divertir muito, com direito a acesso ilimitado.

Agora que você já sabe, que tal aproveitar e se manter conectado o dia todo em qualquer lugar? Seja um cliente NET, entre em contato para conhecer nossos planos e serviços! Afinal, o mundo é dos NETs!

 

Bondinho da rua XV - Foto Luciano Mochiski

A rua das Flores

Rua das Flores

é o trecho inicial da Rua XV de novembro e avenida Luiz Xavier, no centro de Curitiba. Inaugurada em 1972, foi a primeira rua de grande porte do Brasil a ser exclusiva para pedestre.

É na rua das Flores que temos o bondinho de Curitiba e o palhaço em frente aos bares da XV além dos homens estátua e outros vários artistas que expõe seus trabalhos.

Um dos prédios mais peculiares é o palácio avenida, que já foi sede do banco Bradesco, depois HSBC. Todo final de ano a apresentação de natal das crianças. Muito showwww!!!

História da rua das flores

 

A rua das flores é o inicio do maior calçadão de Curitiba, pelos aspectos turísticos e históricos, esta rua foi palco de manifestações sócio-políticas no decorrer do crescimento da capital e o próprio ato de sua denominação foi o mais autêntico manifesto paranaense pelo início da república no Brasil. A rua das flores já possuiu outros nomes e o antecessor ao atual era “Rua da Imperatriz”, porém, em 1889 poucos dias após a proclamação da república em 15 de novembro, os camaristas de Curitiba homenagearam o feito do marechal Deodoro da Fonseca com a substituição “da Imperatriz” por o atual nome: Rua XV de Novembro.

É um dos pontos de passagem da linha turismo. Na passagem podemos ver o Palácio Avenida e o bondinho da VX.

Bondinho da rua XV - Foto Luciano Mochiski
Bondinho da rua XV – Foto Luciano Mochiski

O calçamento da Rua XV era discutido desde 1965 e se prolongou até 1972. Os comerciantes da região temiam que o calçamento da rua mais importante do centro condenasse a região ao abandono, enquanto os donos de automóveis achavam inadmissível a prefeitura fechar o tráfico de automóveis e construir uma praça linear. Barricadas durante o dia eram montadas pela administração municipal para impedir o tráfico, contudo a noite os motoristas e comerciantes da região as retiravam.

Com isso a prefeitura iniciou o calçamento da Rua XV de Novembro em um final de semana, impedindo que mandados de segurança fossem requeridos pelos comerciantes contra as obras. Foi sexta feira a noite que caminhões descarregaram as pedras para calçar a rua, e a obra foi feita naquele fim de semana. Terminado o calçamento os operários plantaram as árvores adultas e fixaram as floreiras, e foram embora.

Com isso a imprensa começou a atacar a prefeitura dizendo que que o calçamento da Rua XV de Novembro ofendia a “moralidade da Revolução de 1964” e havia um medo na prefeitura que o comandante da 5.ª Região Militar considerasse o calçadão como uma obra inútil.

 

Uma semana depois um clube de automobilismo organizou um protesto na Rua das Flores. A intenção era no sábado seguinte a realização da obra, automóveis antigos invadiriam o calçadão e convidariam motoristas que passavam pelo centro a acompanha-los. Porém a prefeitura agiu rápido criando uma atividade infantil na Rua XV. Antes da hora prevista do protesto, os funcionários da prefeitura esticaram um rolo de papel no calçadão e distribuíram tintas para as crianças que iam passando. O líder do movimento subiu com o carro na calçada e parou quando percebeu que havia dezenas de crianças agachadas desenhando. Foi o fim do protesto, porém os comerciantes, donos dos automóveis e parte da imprensa queriam a substituição do prefeito, o que não ocorreu.

Contudo, os dias iam passando e a população que andava pelo centro começou a desviar seu trajeto simplesmente para olhar as flores e caminhar pela praça linear. Com mais gente andando pela XV o comércio aumentou, e antes os mesmos comerciantes que reclamavam perceberam o impacto positivo do calçamento para seus negócios.

 

Agradecimento a Luciano Mochinski pelas fotos.

A praça Tiradentes

A praça Tiradentes

A praça Tiradentes está localizada no centro de Curitiba. É a mais antiga praça da cidade, sendo considerada seu marco zero. Reza a lenda que o local foi escolhido pelo cacique Tidiquera, chefe da tripo Tingui, para ser morada dos primeiros habitantes da região
Para simbolizar o poder do rei foi posta a Cruz de Cristo, que ainda está lá nos dias atuais. O monólito foi inaugurado em 20 de março de 1963.

Na praça também  está o Marco Zero da cidade, que é um marco para referências geodésicas, de onde se baseia todas as medidas de distancia da cidade e sua posição de nível do mar.

História da praça

praca-tiradentes-antiga
praca-tiradentes-antiga

Há tempos a praça era conhecida como Largo da Matriz, por abrigar a pequena capela em torno da qual se desenvolveu a Vila Nossa Senhora da Luz e Bom Jesus dos Pinhais. No mesmo local da antiga capela está hoje a Catedral Metropolitana de Curitiba. Em 1880, quando da visita do imperador ao Paraná, o Largo da Matriz mudou seu nome para Largo Dom Pedro II e em 1889 passou a denominar-se, Praça Tiradentes. Na praça tem uma grande quantia de bustos de personagens importantes da história do Brasil como Marechal Floriano Peixoto, Getúlio Vargas  e Tiradentes, esta última de João Turin.

Reforma da Praça Tiradentes

Em 1994 a praça foi reformada para poder abrigar algumas linhas de onibus e estações tubo dos onibus ligeirinho. Em 2008 foram encontradas calçamentos de cunho arqueológico, datados da metade do século XIX; após uma grande reforma, a praça foi inaugurada, com um projeto de revitalização para dar visibilidade aos achados. No meio da praça, onde foi encontrada a calçada histórica mais importante, foi feito um trecho de 119 metros quadrados de piso de vidro laminado, sustentado por uma estrutura metálica, e uma iluminação especial foi instalada dentro do vidro para destacar a calçada.

 

A estátua de Tiradentes foi removida para os serviços de manutenção, e neste processo, foi descoberto uma garrafa no vão livre do seu pedestal, que aberta por técnicos especialistas, descobriu-se conter uma carta, escrito pelo próprio escultor, indicando que no local original do monumento, removida de lugar em 1932, existe uma cápsula do tempo contendo a primeira página do jornal “O Dia”, de 21 de abril de 1927 e algumas moedas da época. Além deste documento, dentro da garrafa também estava uma moeda de 100 réis.

 

A praça Tiradentes fica a cerca de 1 km da rua das flores, outro importante ponto turístico de Curitiba. Você pode conhecer a Rua das Flores, a praça Tiradentes e muitos outros pontos de Curitiba utilizando a linha turismo. Conheça Curitiba.

 

Fonte wikipedia e prefeitura de Curitiba